Buscar
  • App Minha Escola

Pedagogo, como está sua saúde mental?


No dia 20/05 comemoramos o Dia do Pedagogo e é pensando neles que hoje iremos falar de um assunto muito importante que é o cuidado com a saúde mental.


Sabemos que todas as profissões têm a sua carga de estresse, mas quem é ou já foi professor sabe que essa é uma das profissões onde a saúde mental requer mais atenção.


Outras profissões que podem passar pelos mesmos problemas são as que atuam diariamente sob pressão e com responsabilidades constantes, como médicos, enfermeiros, policiais, jornalistas, dentre outros.


É fácil ficar exausto, física e mentalmente, quando a rotina consiste em manter a ordem em uma sala de aula cheia de crianças ou adolescentes. É uma profissão para os fortes!


De acordo com uma pesquisa realizada com 9557 profissionais pela Nova Escola em 2021, 72% dos professores tiveram a saúde mental afetada e precisaram buscar apoio durante a pandemia.


Alguns professores que são apontados pela pesquisa apresentaram um quadro de Síndrome de Burnout. Os profissionais da área da educação têm diversos motivos para apresentarem a síndrome.


Como por exemplo, diretrizes de ensino, relações com diretores, coordenadores e colegas de profissão e a relação com os alunos são alguns fatores que contribuem para a evolução do quadro.


Para ser diagnosticado ou não com essa síndrome varia muito de pessoa para pessoa. Por exemplo, existem pessoas com alta tolerância ao estresse e pessoas que adoecem diante de uma pressão mínima.


Tome cuidado, esse estresse excessivo começa a se tornar uma questão de saúde mental quando alguns sintomas aparecem, como falta de apetite, hipertensão arterial, insônia, desânimo e fadiga, nesses casos uma terapia é necessário!


Porém, quando os sintomas emocionais não são tratados, o corpo acaba reagindo com sintomas como falta de ar, sudorese, tremores, sensação de tontura, insônia, dores de cabeça e dores no corpo.


Esses sintomas, quando agudos, evidenciam que o cérebro está muito comprometido e só a terapia pode não ser suficiente para reduzi-los, diante disso, a intervenção médica se torna necessária!


Como falamos anteriormente, a profissão de docente é para os fortes, porém até os fortes precisam de ajuda, não é?


Então colocamos algumas dicas que podem auxiliar no cuidado da saúde mental e a manter a calma dentro da sala de aula.

  • Cuide da sua saúde

Sim, essa é a dica principal. O seu trabalho ocupa grande parte do seu dia, mas você precisa prestar atenção a como você cuida de você no restante do tempo. É preciso dormir bem (o recomendado são 8 horas por noite), se alimentar corretamente, praticar algum tipo de atividade física (que, por mais que pareça o contrário, te ajudam a ter mais energia), além de ter alguns momentos de lazer e relaxamento. Se você chega na escola bem descansada, fica mais fácil encarar a rotina agitada de lidar com as crianças.

  • Deixe as regras claras

Sempre importante explicar aos alunos no início do ano (e lembrar de tempos em tempos) que você é a autoridade da sala de aula e precisa ser respeitada. Deixe essas regras visíveis e incentive os bons comportamentos. Evite gritar com os alunos, isso costuma piorar a situação, além de não inspirar respeito.

  • Peça ajuda

Se estiver muito difícil manter o controle da turma, apesar de vários esforços e táticas, não tenha medo de pedir ajuda. Fale com a coordenadora da escola ou com outras professoras e veja como é possível melhorar o seu tempo em sala de aula. Toda a escola ganha se a professora estiver se sentindo bem em seu ambiente de trabalho. E os alunos sentem o estado de espírito do professor, ou seja, as chances de a sua turma ser muito agitada se você também estiver agitada e nervosa são grandes.

  • Respire

Quando sentir irritação ou impaciência, aplique a técnica que é ensinada às crianças: “cheire a flor e assopre a vela”. Ou seja, respire fundo. Parece uma dica muito básica, mas na correria do dia a dia, especialmente quando estamos nervosos, é fácil esquecer de respirar. Faça técnica de respiração. Inspire profundamente e solte devagar. Repita quantas vezes for necessário.

  • Ao chegar em casa, desligue

É difícil não levar os problemas para casa. Mas quando você estiver fora da escola e livre do trabalho de planejar as próximas aulas, aproveite o máximo os períodos de relaxamento. Se está com seus familiares, dê atenção total a eles. Se puder ver um filme, relaxe. Tome um banho demorado. Leia sobre outros assuntos. Esses momentos de descanso são extremamente importantes para a mente, e, segundo muitos estudos, ajudam, inclusive, a melhorar a performance e criatividade durante o trabalho.


Estas dicas são importantes para ajudar os professores, mas só elas não farão nenhum milagre! Nós, como uma sociedade também podemos e devemos ajudá-los.


É preciso que tenhamos uma visão que vá além das nossas próprias necessidades e buscar sempre o bem comum. Dessa forma ficaremos atentos aos sinais que nos são apresentados.


Temos que ter sempre em mente que esses transtornos são doenças neuropsiquiátricas, o que evidencia que esses problemas são tão reais quanto qualquer outra doença que possa atingir nossa saúde física, por exemplo.


Cabe a nós, acolher essas pessoas, ouvi-las de uma forma que as faça sentir entendidas, ser tolerante e entender os seus limites e dificuldades sem julgá-las e o mais importante, não as reduzir a uma condição inferior apenas por terem uma dificuldade.


Porém, não podemos esquecer que por mais que essas pessoas precisem de ajuda, nós temos limitações nessa área.


E devemos sempre auxiliar a pessoa a procurar ajuda profissional e desmistificando um certo preconceito, ainda que ultrapassado, possa existir sobre terapia, por exemplo.


Assim, chegamos ao fim de mais um artigo e a gente espera que de alguma forma tenhamos conseguido ajudar.


É para isso que nós, do App Minha Escola trabalhamos, visando simplificar processos estressantes, que antes levavam muito tempo e com nosso aplicativo, pode ser feito com poucos cliques.


Entre me contato com nossa equipe e venha transformar sua escola em uma referência na região!




40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo