Telefones

+ 55 54 9 9158.0014

+ 55 54 9 9157.4993

Buscar

Pareceres Descritivos: registros de um olhar



Quando começam os movimentos dentro da escola para a organização das escritas dos pareceres para que sejam revistos pela coordenação, as professoras ficam preocupadas e muitas vezes sentem-se inseguras neste momento.

Por que precisamos escrever os pareceres? Esta é a primeira pergunta a ser feita. Os pareceres descritivos relatam o desenvolvimento infantil, relatam tudo o que foi observado e vivido com as crianças dentro das escolas infantis. Os pareceres são um documento, e por este motivo traduzem a complexidade que é descrever a subjetividade de uma infância de forma descritiva e com a condição de traduzir com toda a seriedade suas conquistas e vivências sociais.


"...avaliar é acompanhar e registrar a aprendizagem e o desenvolvimento das crianças nos contextos nos quais elas estão inseridas..."

Segundo o Referencial Curricular Gaúcho: “A avaliação na Educação Infantil toma como foco do processo avaliativo as próprias crianças, a partir da concepção de que avaliar é acompanhar e registrar a aprendizagem e o desenvolvimento das crianças nos contextos nos quais elas estão inseridas, a partir de um olhar teórico-reflexivo sobre as manifestações sucessivas e gradativas das crianças, respeitando suas individualidades.” (Referencial Curricular Gaúcho, 2019, p.74). Partindo deste pressuposto podemos entender que o parecer é somente o registro de uma avaliação que precede, de um planejamento, uma experienciação e uma ação que já aconteceu. Sendo assim, para organizarmos um bom parecer, precisamos organizar bem nossos encontros diários, precisamos desenvolver um olhar atento e uma escuta sensível, precisamos compreender o protagonismo infantil e sua potência criadora, precisamos reinventar a educação que recebemos e a educadora que somos.


Para começarmos o parecer de cada criança, precisamos realmente vê-las, não como gostaríamos que fossem, mas como realmente são, com toda a potencialidade que possuem, com tudo que aprenderam e desenvolveram durante o semestre. Precisamos ter em mente que o processo de aprendizagem deve ser a principal “mensagem” do parecer e não os comportamentos infantis. Precisamos ter em mãos nossos objetivos educacionais, nossos planos de trabalho, bem como os projetos que desenvolvemos e então avaliarmos que habilidades foram desenvolvidas naquele semestre, e a partir do que constatarmos traçar os novos objetivos para o semestre que se descortina.


Avaliação não é julgamento e nem rotulação, é dar um valor, entender o que a criança conseguiu desenvolver individualmente, o que o grupo que é de minha responsabilidade desenvolveu socialmente, e o que eu, professora, aprendi, vivi e preciso rever. A avaliação é um momento de análise sobre todo o processo que é amplo e contínuo. Quando percebo tudo o que acontece no processo o segundo passo é registrar, seja em planilhas, seja em cadernos com espaços para cada criança. Precisamos anotar diariamente pelo menos uma parte da turma, o que percebemos perante a intencionalidade que desejamos, por exemplo, se promovo uma sessão de experimentação levando em conta texturas e tamanhos, preciso observar e anotar as falas construídas, as construções realizadas, se as crianças perceberam o objetivo, como percebem estas noções. Com um olhar atento e registros diários é que compomos o material do parecer descritivo. E, a dificuldade existe, quando não debruçamos o olhar atento ou, não registramos o suficiente.


A construção do Parecer Descritivo parte das análises obtidas através dos registros escritos dos professores, bem como das construções realizadas pelas crianças, contidas em portfólios, ou em documentações pedagógicas. E essa construção precisa ser levada muito a sério, utilizando uma linguagem clara, formal e adequada ao ambiente educativo.


Precisamos descrever as conquistas nas áreas cognitivas, sociais, psicomotoras de forma subjetiva, pois cada criança é única. Também devemos descrever as particularidades e as conquistas que essa criança obteve durante o semestre, suas brincadeiras e brinquedos preferidos, a música que mais solicita ou história e o modo como se relaciona com os colegas e adultos da escola.


O Parecer Descritivo é um relato da aprendizagem desenvolvida, portanto, queridas professoras, o mais importante é olhar que desenvolvemos durante o semestre para cada um dos nossos pequenos e a forma como registramos seu desenvolvimento para então começarmos o processo de escrita. Se você não tem registros suficientes, ou não se sente segura em ter olhado com atenção, ainda há tempo. Promova no decorrer destas semanas experimentações para observar e formas de registrar, temos certeza que assim a construção dos pareceres será muito mais tranquila, verdadeira e eficaz. Lembre-se: toda criança é protagonista de sua aprendizagem e tem muita potência, basta que desenvolvamos um novo olhar. Desejamos lindas escritas!