Buscar

Coronavírus e a Educação Infantil

Está todo mundo falando nisso... o novo coronavírus. Por isso preparamos um material exclusivo para orientar as Escolas de Educação Infantil e alertar sobre as possíveis fake news, que não são pautadas em evidências reais.


Para falar sobre esse tema e sobre as prevenções e cuidados, convidamos a Ana Paula Lorandi, profissional da saúde.


Boa leitura!!!!


O coronavírus está sendo assunto em todo o mundo. No Brasil não é diferente, principalmente após a confirmação do primeiro caso da doença pelo Ministério da Saúde.

Com o fim do verão e a chegada do outono, além do coronavírus, outras doenças respiratórias começam a surgir e se espalham facilmente entre as crianças. O que deixa pais, professores e a equipe das escolas em alerta.


As escolas de educação infantil, por terem grande circulação de pessoas se tornam locais de extrema atenção. No ambiente escolar, o cuidado deve ser redobrado para prevenir uma possível transmissão do coronavírus e outros vírus.




Abaixo, estão listadas algumas medidas importantes para a prevenção do coronavírus e outras doenças respiratórias nas escolas infantis. É importante que as professoras e auxiliares monitorem as crianças para que essas sigam as orientações corretamente.


DICAS DE PREVENÇÃO

• Crianças, educadores e outros profissionais da equipe, que apresentarem sintomas de gripe, devem-se manter afastados da escola, até a melhora dos sintomas ou liberação médica.

• A equipe e as crianças precisam ser orientadas a lavar as mãos até a altura do pulso com frequência, utilizando água corrente e sabão, e por pelo menos 20 segundos. Deve-se dar atenção para lavar bem entre os dedos, palma e dorso das mãos, além dos polegares, ponta dos dedos e embaixo das unhas. Após lavagem, utilizar papel descartável para secar as mãos.

• O álcool em gel pode e deve ser utilizado nas mãos diversas vezes ao dia. Sempre cuidando para passá-lo de maneira uniforme, em toda a mão, entre os dedos, polegares e ponta dos dedos.

• Deve-se evitar tocar os olhos, nariz e boca sem ter higienizado as mãos. Sugere-se que as professoras e auxiliares fiquem atentas para que as crianças não o façam.

• NÃO se deve compartilhar objetos de uso pessoal, tais como copos, garrafas e talheres.

• Cuidar para que as crianças não “troquem” de chupetas. Após o uso pela criança, deve-se guardá-las em recipiente apropriado e identificado.

• Utilizar lenços descartáveis para a higiene nasal das crianças.

• NÃO utilizar toalhas de tecido para secagem de mãos ou higiene das crianças.

• Ensinar as crianças a cobrir nariz e boca com um lenço de papel sempre que forem espirrar ou tossir. E após o uso, descartá-lo no lixo. Caso não haja lenço disponível no momento, deve-se cobrir o nariz e boca com o braço (parte interna do cotovelo).

• Manter os ambientes muito bem ventilados.

• Limpar e desinfetar os objetos, como as maçanetas e as superfícies tocadas com freqüência, e principalmente os brinquedos que as crianças possam levar à boca.


Com esses cuidados, podemos ajudar a impedir a propagação de várias doenças dentro das escolas de educação infantil, inclusive a infecção pelo coronavírus. Faça a sua parte!


Fonte OMS


Ana Paula Zadinello Lorandi, nutricionista especialista em nutrição clínica, fitoterapia e nutrição materno infantil. Crn2 10531.


Venha se divertir conosco! Kits de atividades pedagógicas para seu filho de 3 a 7 anos. Acesse nosso site e descubra. www.risquerabisquebox.com.br


Telefones

+ 55 54 9 9158.0014

+ 55 54 9 9157.4993