top of page
Buscar
  • App Minha Escola

Como aplicar a BNCC na Educação Infantil

Atualizado: 16 de dez. de 2022


Apesar da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) estar em vigor há alguns anos, ainda existem algumas dúvidas que persistem, principalmente sobre a educação infantil.


Tendo isso em mente, no blog de hoje, vamos abordar a BNCC na educação infantil.

Mas antes de nos aprofundarmos nesse assunto específico, vamos entender o que é a BNCC.


A Base Nacional Comum Curricular é um documento de caráter mandatório que como diz o próprio nome é uma base para a construção de currículos em todo o território nacional.


No entanto a BNCC não é currículo e nem deve ser vista como, ela indica o que deve estar no currículo, mas não a forma como será organizado e desenvolvido por cada escola.


A BNCC já estava prevista no art. 210 da Constituição Brasileira e foi definida também na Lei de Diretrizes e Bases da Educação 9394/96 como a norteadora dos currículos e das propostas pedagógicas de todas as instituições de Educação Básica (Entende-se Educação Infantil ao Ensino Médio – 4 a 17 anos).


Nas Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil (2009) temos a estrutura de como deve se organizar a educação brasileira e a BNCC foi construída baseada em todos estes documentos, mas foi no Plano Nacional de Educação que virou meta e em dez de 2017 foi promulgada.


O objetivo da BNCC é a equidade de direitos a aprendizagem em todo território brasileiro, independente da escola pública, privada, rural ou urbana e assim atingirmos uma elevação na qualidade de ensino do país.


Agora que já conseguimos entender melhor como funciona a Base Curricular, vamos falar como que ela afeta a educação infantil.


Existem novos focos, além dos já conhecidos interagir e brincar, que chegam para agregar ainda mais nas escolas, que são: os direitos de aprendizagem e os campos de experiência, que devem ser trabalhados no dia a dia da escola.


Quanto aos direitos de aprendizagem, a BNCC estabelece seis, são eles:


1- Conviver

Este é o primeiro dos direitos que aborda a convivência da criança com colegas e adultos. É importante inseri-las em situações que usem diferentes tipos de linguagem.


Desta maneira, poderão se conhecer melhor e conhecer o outro indivíduo, além das diferenças sociais e culturais também.


Os professores podem proporcionar momentos que a turma se reúna, por exemplo em um piquenique, um passeio aos arredores da escola, dia do brinquedo, onde cada um levará seu brinquedo e irá brincar com o colega.


2- Brincar

Conforme orientação da BNCC, as brincadeiras devem ser diversificadas e estarem presentes no cotidiano da vida da criança, em lugares diferentes e com pessoas diferentes, como por exemplo adultos e crianças. É importante que as brincadeiras sejam proveitosas em questão de conhecimento, experiência e social.


Tanto professores quanto os responsáveis podem promover brincadeiras no quintal de casa, no parquinho da escola. O uso de brinquedos educativos é muito interessante, a gente fala mais sobre a importância dos brinquedos nesse post do blog, deixamos o convite para você ir conferir mais sobre o assunto.


3- Participar

Tenho certeza de que você já leu ou escutou o termo “aluno protagonista”, é esse o foco de promover a participação do aluno junto dos adultos e colegas, desde o planejamento de aulas até a escolha de brincadeiras. Assim, a criança terá a chance de se posicionar e decidir.


Dentre as formas de colocar em prática esse direito, o de selecionar algumas atividades e deixar que os alunos escolham, é o mais ideal. Outra maneira de explorar isso, é fazer uma brincadeira que possua etapas e as crianças tenham que fazer escolhas durante a atividade.


4- Explorar

É necessário que na infância, as crianças tenham a oportunidade de explorar livremente, sejam texturas, sons, movimentos, formas etc. Dessa maneira, ela irá ampliar o os conhecimentos sobre diversos campos.


Para trabalhar esse direito em sala de aula, o professor pode oferecer texturas para as crianças brincarem, como tecidos mais ásperos, mais macios, isopor. Texturas naturais também são recomendadas, como areia, lã, pedras e por aí vai.


5- Expressar

A BNCC orienta as instituições de ensino para estimularem as crianças a se expressarem, com clareza, criatividade e sensibilidade sobre as suas necessidades, opiniões, dúvidas etc.


A escola pode exercitar isso chamando a criança para conversar, convidar a criança para contar uma história para a turma, como foi o fim de semana. Também é interessante promover rodas de conversa e levar assuntos para que as crianças opinem.


6- Conhecer-se

O autoconhecimento é o último dos direitos de aprendizagem, é papel da escola auxiliar a criança na construção de uma imagem positiva de si. Mas quando isso ocorre? São nas experiências, brincadeiras e interações.


Pedir para que as crianças se desenhem é uma dentre muitas alternativas para trabalhar esse direito na sala de aula.



Agora que você já conhece os direitos de aprendizagem, vamos falar sobre os cinco campos de experiência da BNCC.


1- O eu, o outro e o nós

Este é o campo de experiência que trata do desenvolvimento social da criança. É importante que a criança possa interagir com seus colegas e com adultos também, para que ela tenha uma percepção dela, dos outros e do grupo que ela está inserida, ou seja, o nós.


Lembrando que nós temos um conteúdo especial sobre esse campo de experiência, deixamos aqui convite para que você confira no nosso canal do Youtube.


2- Corpo, gestos e movimento

Aqui, falaremos sobre como perceber e se relacionar com o mundo ao redor através do corpo, dos movimentos e dos gestos.


Através dos anos, os pequenos criam um senso de espaço e dos objetos que os cercam, dessa maneira, desenvolvem uma consciência dos seus limites, do que pode ou não causar algum risco.


3- Traços, sons, cores e formas

Nesse campo, mostraremos a importância de promover o contato das crianças com o teatro, música, pinturas, modelagem, entre outros. Isso irá desenvolver a criatividade, o senso crítico e estético.


Ampliará seus repertórios, as ajudará a interpretar experiências e vivências artísticas e a criar as suas próprias produções.


4- Escuta, fala, pensamento e imaginação

A BNCC destaca a importância de incentivar a criança a falar e ouvir. Aqui você pode contar com grupos de conversas, narrativas individuais ou em grupo. Esse campo, fala também sobre o contato com a leitura, para a criança ir se familiarizando com essa cultura, os adultos podem ler livros infantis, fábulas, poemas, despertando a curiosidade pela leitura.


5- Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações

Chegamos ao último dos campos de experiência da BNCC, este trabalha as questões espaciais, temporais, o mundo ao redor da criança e socioculturais. Trata de os pequenos aprenderem a se situar em espaços como a rua, escola e a cidade, por exemplo. Além de aprenderem a se situar no tempo também, como o ontem, o hoje, amanhã.


Já na área sociocultural, é importante a criança desenvolver a noção sobre o parentesco com os membros da família e outras relações sociais com as pessoas que ela conhece.


Chegando ao fim de mais um blog, espero que este conteúdo possa ter te ajudado, não esqueça de compartilhar com colegas e amigos.


Agora o recado é para as Diretoras que são parceiras do App Minha Escola e usam o nosso aplicativo para facilitar o dia a dia escolar. Fique de olho no seu e-mail, que estamos preparando uma grande surpresa para você!

78 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page