Buscar

“É meu, é meu!” Como trabalhar o conceito de “nosso” com as crianças pequenas



Basta um simples Dia do Brinquedo na escolinha para que até a criança mais adorável da turma traga à tona os seus mais puros sentimentos de egoísmo e possessão. A frase “é meu!” parece ser a primeira a ser repetida por muitas crianças — e usada, inclusive, para se referir a objetos que não são delas.


Nos primeiros anos de vida, é natural que a criança entenda que o mundo gira ao seu redor e, portanto, todas as coisas (e pessoas) pertencem a ela. Este egocentrismo tende a passar, mas essas experiências da primeira infância, que criam esses laços sociais e seus limites têm repercussões na vida adulta e nas suas relações, de acordo com alguns estudos. Por isso é tão importante que professores se envolvam nesse processo de desenvolvimento social. O papel deles é guiar as crianças para uma melhor convivência com os coleguinhas. Veja algumas dicas:


  1. Ensine a empatia: mostre que as pessoas têm diferentes sentimentos, além de agirem de forma diferente;

  2. Crie atividades que envolvam participação e cooperação;

  3. Faça do Dia do Brinquedo um momento para trocar e dividir os brinquedos. Depois, cada um pode levar o seu para casa, mas naquele momento na escola, por que não emprestar ao coleguinha e ter a chance de brincar com um brinquedo diferente? Faça esse teste com eles, mostrando os benefícios da troca.

  4. Durante aulas e jogos, deixe sempre as regras claras às crianças. E combine bem as trocas. Por exemplo: “Agora você brinca com o carrinho do colega por cinco minutos, depois você devolve para ele”.

  5. Não permita qualquer forma de discriminação;

  6. Incentive o compartilhar: e isso pode ser feito nas atividades mais simples. Digamos que a professora tenha um pacote de biscoitos para a sala toda. Designe um aluno para entregar um biscoito a cada uma das crianças da sala. Assim, elas percebem que todas têm direito a um biscoito. O mesmo pode ser feito com qualquer outro material ou atividade. 

  7. Evite tomar o brinquedo de uma criança que não quer emprestar e entregar para outra. Em vez disso, faça trocas. 

  8. Mostre que é sempre mais legal brincar em grupo do que sozinho com seus brinquedos.


Dica para pais: 

Quando a criança receber amiguinhos em casa, selecione com ela os brinquedos que serão compartilhados com as visitas. Não tem problema se ela quiser guardar algum brinquedo que tenha um valor sentimental maior, pois isso a deixará mais segura e tranquila para dividir os outros.

Os brinquedos novos são sempre mais difíceis de serem compartilhados, afinal, há toda uma novidade envolvida. Evite levá-los para lugares onde outras crianças vão querer brincar com eles também — pelo menos enquanto são novos.

Telefones

+ 55 54 9 9158.0014

+ 55 54 9 9157.4993